quarta-feira, maio 13, 2015

Gato Sádico



um  gato sádico 
com bigodes de borboleta
mastiga as asas de um pássaro.
nesta noite negra e sem pontes
não existem barcos para fazer a travessia
entre o nascer do sol e o poente.
encho meu copo de champagne paraguaia
e me visto com as asas bufantes da cigarra
e seu corpete de veludo  verde-alemão.
o violeiro ensaia uns acordes 
de um rock & roll vintage,
disfarça o desejo com o panamá de lado
e eu canto e danço na chuva,
enlameio meus sapatos brancos
só prá sujar os bancos do seu carro novo.

quero te fazer pirraça,vou te trancar na sacada, 
te derrubar da escada,
vou secar a àgua da sua fonte.

Mas tudo o que consigo é sentir pena
da tua cara de tédio;
da tua t-shirt rasgada, do teu pijama sem elástico,
da tua cerveja quente,

do teu mastro a meio pau,

malemolente.

Imagem: Ray Caesar 

Camburi, Dezembro, 20 a 31 de 2014.
Postar um comentário