sexta-feira, janeiro 17, 2014

Cigarro de palha







a tarde era de chuva.
rede na varanda
                                   ba-lan-ça-va
o vendedor de livros
não convencia.
Aflito,
consultava as horas.

pai tirava palha de um bolso,
um canivete do outro, 
pi-ca-va- fu-mo
enrrrrrrrrrrrrrolava
um cigarro
na palma da mão:

com jeito de quem sabia tudo, 
tragava O MUNDO. 

Postar um comentário