quarta-feira, novembro 03, 2010

Em um país insolúvel

 

Em um pais insolúvel
despejei meu envelope de chá:
- nenhuma semente vingou,
nem jamais vingará.
Postar um comentário