quinta-feira, abril 03, 2014

Sobre mulheres & seus brocados








mulheres têm parentesco com rendas

colchas de retalhos
com que se cobrem nas noites frias, 
se estão sozinhas, 
ou cobrem seus filhos
que passam frio ao seu lado 

mulheres tem parentesco 
com agulhas e bordados, 
restos de linhas, 
retalhos tintos de panos, 
alguns botões descasados, 
um velho camafeu dourado, 
um escapulário que foi de uma tia, 
vidros de perfumes vazios, 
folhas secas de árvores extintas, 
uma pena que elas guardam no meio de um livro,
que talvez nunca tenham lido, 
alguns brocados, canutilhos, vidrilhos, caixinhas
tudo junto e misturado

é tudo tralha-meio-parente das mulheres
que elas carregam consigo em suas viagens 
através dos tempos:
- escondidos em baús, no meio de  enxovais embolorados, 
- no lombo de burros, subindo despenhadeiros
nos Himalaias;
-deslizando em barcos azuis,
quando é verão nos lagos do Alasca;
- esquecidos em estações de trens,
cujos parceiros chegaram adiantados;
ou partiram sem que elas fossem notadas

são seus pequenos tesouros, 
guardados em secretos esconderijos:  
no passado, em seus espartilhos, 
e agora, nos aplicativos 

mulheres têm parentesco com aranhas
e seus espíritos
construtores de teias.

Imagem: Dino Valls 
Postar um comentário