quinta-feira, julho 14, 2011

A Mulher de Lama


(Para Clarissa Pinkola Estées, autora de Mulheres que Correm com os Lobos) 


É doce o sorriso da mulher de lama,
que se levanta do lago.
Das águas profundas, emerge a estátua de barro,
com seu leque sagrado,
rasgando seu véu de lodo e algas.


Do seu ventre, um chafariz eleva-se ao céu,
de onde os anjos descem aos pares,
vindo brincar na sua barriga de ágata.

À sombra de seus cabelos em cachos,
crescem as macieiras.
Na primavera, os botões em flor,
salpicam-lhe a vasta cabeleira
com pétalas brancas dos futuros frutos proibidos.

Soberana, a mulher de lama se levanta
do fundo do lago.
Altiva, caminha até a beira do penhasco.
Do precipício, inicia o seu vôo
de mulher-pássaro.

(Poema inspirado no livro Mulheres que Correm com os Lobos e que faz parte de uma trilogia: O Uivo de La Loba e Os Secretos Aposentos do Barba Azul)

Postar um comentário